Convocatória

LINHAS DE TRABALHO, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

 

  • > arte digital e tecnologia
  • > artes visuais
  • > arte sonora
  • > artes plásticas
  • > micropolíticas de gênero
  • > urbanicidade
  • > performance
  • > ambiental
  • > música
  • > dança
  • > audiovisual
  • > artes cênicas

 

REGULAMENTO

 

Confira o regulamento aqui.

 

CURADORES

 

> LUCIANA FLEISCHMANN

É Licenciada em Comunicação Social pela Universidad Nacional de Rosario (Argentina) e mestre em Comunicação, Imagem e Informação pela Universidade Federal Fluminense (Brasil). Pesquisa e produz atividades experimentais em arte e tecnologias livres, como o Festival Tropixel-Arte, Ciência, Tecnologia e Sociedade (Ubatuba, Brasil), o projeto Aprender Brincando, que desenvolve laboratórios de aprendizagem em rede em escolas públicas do Rio de Janeiro, e a plataforma Rede//Labs, onde pesquisa sobre cultura digital experimental no Brasil e América Latina. Atualmente reside em Medellin (Colômbia) onde coordena o programa de residências do laboratório comunitário Platohedro.

 

>>>

 

> WALÉRIA AMÉRICO

Trabalha com vídeo, fotografia, instalação e performance, pesquisando e experimentando as relações de corporificação, trajetividade e co-presença entre singularidade, entorno, habitação e deslocamento. Sua trajetória artística se desdobra numa constante atenção às reciprocidades entre corpo e lugar. Adicionalmente, uma atenção ao Outro a tem levado a considerar o aspecto colaborativo do trabalho artístico, através de proposições nas quais a materialidade da conversa e da convivência é explorada em imagens-paisagem que se constroem como convites ao atravessamento e à habitação.

 

>>>

 

> DUDU TSUDA

É artista multimídia, artista sonoro, músico, compositor, performer, produtor musical, professor nos cursos de Cinema, Radio TV e Produção em Música Eletrônica na Universidade Anhembi Morumbi e professor convidado da PUC/SP desde 2010. Mestre pelo programa Tecnologias da Inteligência e Design Digital PUC-SP. Graduado em Comunicação em Multimeios PUC-SP.

 

RESULTADO

 

Selecionadxs:

> Isabela Meirelles (SP)
> Alexandra Martins (BA)
> Jorge Crowe (ARG)
> Veronica Cerrota (ARG/RJ)
> Jonas Van (CE/SP)
> Cinira D’Alva (CE)

Suplentes (por ordem de classificação):

> Erika Kobayashi (SP)
> Santiago Cao (ARG)
> Fabiana Faleiros (SP)
> Thais de Campos (CE)
> Maria Tutti Luisão (BA)

 

Dxs curadores:

WALÉRIA AMÉRICO

Eu sublinho como importante durante a seleção de projetos para a residência sala vazia, a busca por ambientes de interações artísticas e sociais. Destaco nas propostas o interesse em ampliar as vivencias individuais para o campo do politico, e o entendimento que a prática e reflexão de arte podem acontecer em meio a instabilidade de mundo. Dentro do recorte para a primeira edição do Sala Vazia ficou visível presença de proposições no campo da performance, arte sonora e/ou audiovisual.

Dudu Tsuda

Sou muito grato aos idealizadores do programa de residência artística Sala Vazia pelo convite e por esta experiência maravilhosa que está por vir. O encontro para trocas de experiências artísticas é um refúgio e uma fortaleza em tempos de aridez extrema no campo político. Vislumbrá-lo e almejá-lo são intenções poderosíssimas e, por isso, fica aqui registrado meus parabéns a todos os artistas que enviaram suas propostas. Recebi e li com muita felicidade os projetos, e confesso que foi muito difícil chegar nos nomes selecionados. Pela qualidade dos materiais recebidos. Pela consciência de que vivemos uma situação de escassez de recursos e espaços para arte e cultura no país. E, finalmente, pela vontade de conceder a oportunidade e o prazer de realização do trabalho artístico a todos inscritos.

Luciana Fleischmann

As propostas que chegaram nesta primeira chamada da Sala Vazia evidenciaram uma grande variedade temática, de trajetórias artísticas e lugares de origem. Gostaria de destacar a ressonância da arte e da experimentação sonora, das práticas performativas e das diferentes expressões artísticas que abordam as questões de gênero, trazendo uma dimensão política tão necessária e urgente em nossos dias. Percebemos também a grande demanda local por espaços que acolham e promovam a troca informal de conhecimentos e experiências entre criadoras/es da cidade, do país e da América Latina. Procuramos refletir um pouco dessa diversidade entre os projetos selecionados, considerando o potencial de diálogo com a cidade e o estímulo de processos coletivos e participativos por meio de encontros, ações pedagógicas e/ou de criação colaborativa.

 

Foram 115 inscrições de 7 países, obrigado a todxs que se inscreveram!