ATERRARFOGO

Abertura de processo micro-residência: ATERRARFOGO

 

>>>

Sete mulheres artistas, cinco encontros e a pergunta: como construir confiança? Respirar juntas, perceber corpos, compartilhar processos, escorrer palavras, se expor à vulnerabilidade, destruir mundos, forjar armas, buscar caminhos para a cura-impossível, elaborar práticas de auto-cuidado e sobrevivência a partir de uma reflexão sobre os cinco elementos: ÁGUA, TERRA, ÁR, ÉTER e FOGO.

Formando o coletivo de artistas: Patrícia Araujo, Aline Furtado, Isadora Teixeira, Lucy Fars, Layla Fontenele, Terrorista del Amor – Dhiovana Barroso e Marissa Noana apresentam os processos e trabalhos realizados durante a micro-residência em que partilharam vivências, estudos sobre os cinco elementos, práticas de roda, jogos e exercícios de respiração. E construíram suas propostas para trabalhos/ações/publicações à serem realizadas. O quinto dia será aberto ao público e dedicado à apresentação dos processos e trabalhos realizados durante os encontros. 

>>>

Fotos: Jorge Silvestre

>>>

Programação

> 01/02/03/04 jul_9h ás 13h_Trincheira

> 08 jul _ 19h _ Salão das Ilusões_ Gratuito

>>>

Patrícia Araujo é cearense, mestre em Artes Visuais pela ECA-USP e vive em São Paulo desde 2009. Investiga as relações do corpo diante de situações de borda, estabelecendo diálogos entre dimensões íntimas e políticas a partir de instalações, ações e jogos. 
Realizou sua primeira exposição individual “O corpo é eu: diários sobre a distância” em 2014, na Galeria Zipper (SP). 
Em 2015 participou da coletiva “Zona de litígio” no Museu de Cultura Cearense, em Fortaleza. Em 2016 foi selecionada para o “67o Salão de Abril”, participou das coletivas “Quadro,desquadro, requadro” durante o Arte Atual Festival, no Instituto Tomie Ohtake e “Sempre Algo Entre Nós” no Sesc Belenzinho. No final de 2016 participou da Residência Artística “Travessias Ocultas” pelo projeto “Lastro – Intercâmbios livres em artes”, em que viajou com mais 7 artistas por um mês pela Bolívia. 
Em 2017 foi selecionada para a “Bienal Del Sur” participando da coletiva “Pensamiento Salvaje”, em Buenos Aires e também participou da coletiva“Respirar sem oxigênio” na Galeria Millan (SP). Em 2018 participou da exposição “Travessias ocultas” no Sesc Bom Retiro e da “Mostra Verbo de Performances 2018” na Galeria Vermelho. Também atua instrutora de yoga e como docente do curso de graduação em Audiovisual do Senac.